Inaugurado em 1950, o metrô de Estocolmo tem hoje 100 estações em uso, das quais 47 são subterrâneas e 53 estão acima do solo. Com trechos que penetram rígidas rochas, o sistema, por si só, já se apresenta como uma obra especial de engenharia.

Como se não bastasse transformar alicerces expostos e rochas brutas em beleza, o metrô abriga as mais diversas expressões artísticas, com pinturas, esculturas, mosaicos e gravuras de mais de 150 autores.

Basta viajar de um ponto a outro, com os olhos bem atentos, para contemplar a arte inspiradora impressa em cada plataforma e túnel do metrô. As estações são como galerias de arte, constituídas, cada uma, com identidade própria.

Aliadas à estrutura do sistema de transporte, as obras, interferências e azulejos constroem um circuito de paisagens artificiais completamente integradas ao contexto urbano. É como transformar o caminho percorrido no objetivo de uma bela viagem, ou como fazer de uma ida ao trabalho um passeio pela maior galeria de arte do mundo.

Texto e imagens Obvious